foto







05/03/2015: SITE EM FAZE DE MUDANCA DE SERVIDOR, AINDA ESTAMOS ATUALIZANDO TODOS OS DADOS DO SITE, INCLUSIVE OS ALBUNS DE FOTOS DOS EVENTOS. PEDIMOS SUA COMPREENSAO ATE NO MAXIMO 08/03/2015 ESTAREMOS COM O SITE NORMALIZADO




f4foto propaganda

COBERTURA FOTOGRAFICA SITE www.pontalnews.com


fotofoto2


27/03/2015: Sensibilizada com a situação de tantos animais abandonados e espalhados pelas ruas da nossa cidade Joana Darc de Godoi enviou ao prefeito um pedido de providencias urgentes nesse sentido.

Sensibilizada com a situação de tantos animais abandonados e espalhados pelas ruas da nossa cidade Joana Darc de Godoi enviou ao prefeito um pedido de providencias urgentes nesse sentido.

foto

Fonte: Joana Darc de Godoi

25/03/2015: Acidente onde um motoqueiro perdeu o controle e bateu em um post de energia, por volta das 14:30, no Jardim Frei Walter, com o Clube, em Pontalina-Go

Acidente na rua do Clube, no qual passa entre as dois lagos, que da acesso ao Jardim Frei Walter, um motoqueiro vindo da Frei Walter, perde o controle da moto Titan Vermelha, e bate em um poste de energia, o rapaz se machucou e foi encaminhado pelo SAMU ao Hospital Municipal, esteve no local dando suporte a Policia Militar, por volta das 14:30, em Pontalina-Go.


31
4 5

Ocorrência Policia Militar-Go: 16/03/2015 (Segunda-Feira): Uma tentativa o Homicídio onde uma mãe de 37 anos de idade, deu uma facada no peito do próprio filho de 16 anos de Idade, no Setor Boa Vista em Pontalina-Go

foto Ocorrência Policia Militar-Go: 16/03/2015 (Segunda-Feira): Uma tentativa o Homicídio onde Adriana Romão de Freitas de 37 anos de idade, foi presa, onde foi autuada em flagrante, pelo Delegado de Policia Civil Dr. Patrik, de Pontalina-Go, onde a Vítima foi o Próprio filho de 16 anos de idade, onde sua mãe deu uma facada no seu peito, no Setor Boa Vista, ela agora cumpre pena a disposição da Justiça, na cidade de Vicentinópolis-Go.

Fonte: Capitão Weslei – Policia Militar-Go em Entrevista ao Jornal da Integração News FM 94,5 Morrinhos-Go.

20/03/2015: Prefeitura Municipal adquire um bebedouro para o Ginásio de Esportes de Pontalina-Go

fotoBebedouro adquirido para o Ginásio de Esporte através da Prefeitura Municipal para atender os Atletas que ali frequentam e também os Alunos da Escolinha AÇÃO e REAÇÃO.
Agradeço o Prefeito Milton Ricardo e a Primeira Dama Maria Aparecida por atender meu Requerimento.

Abraços do Amigo Vereador Professor Wemerson.

Fonte: Wemerson Werler Vieira

19/03/2015: Reciclagem, Plantio de Alface e Cebolas em garrafas PETI. Aprovado.

foto

 

19/03/2015: Reciclagem, Plantio de Alface e Cebolas em garrafas PETI. Aprovado.

19/03/2015: Cid Gomes pede demissão após discutir com deputados na Câmara, Cid Gomes pede demissão após discutir com deputados na Câmara

fotoNathalia Passarinho, Fernanda Calgaro e Filipe MatosoDo G1, em Brasília

Depois de discutir com deputados no plenário e abandonar o recinto da Câmara em meio à sessão na tarde desta quarta-feira (18), o ministro da Educação, Cid Gomes, foi ao Palácio do Planalto e pediu demissão à presidente Dilma Rousseff, que aceitou.

O pedido ocorreu logo depois de o ministro participar na Câmara dos Deputados de sessão em que declarou que deputados “oportunistas” devem sair do governo.

“A minha declaração na Câmara, é óbvio que cria dificuldades para a base do governo. Portanto, eu não quis criar nenhum constrangimento. Pedi demissão em caráter irrevogável”, declarou o ministro.

O Palácio do Planalto informou após a demissão de Cid Gomes que o secretário-executivo da pasta, Luiz Cláudio Costa, comandará o Ministério da Educação interinamente. Costa já foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e foi secretário-executivo do MEC em 2014, quando a pasta era chefiada por Henrique Paim.

Do plenário, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, chegou a anunciar a demissão antes mesmo de ter sido oficializada. “Comunico à Casa o comunicado que recebi do chefe da Casa Civil [ministro Aloizio Mercadante] comunicando a demissão do ministro da Educação, Cid Gomes”, anunciou Cunha no plenário.

Depois, a Presidência da República divulgou nota oficial com o seguinte teor: “O ministro da Educação, Cid Gomes, entregou nesta quarta-feira, 18 de março, seu pedido de demissão à presidenta Dilma Rousseff. Ela agradeceu a dedicação dele à frente da pasta.”

No Palácio do Planalto, após ter pedido demissão, Cid Gomes falou em defesa da presidente Dilma Rousseff, que ele disse considerar ter “as qualidades necessárias” para governar o país.

Na garagem privativa do palácio, ele classificou a presidente como uma pessoa “séria” e avaliou que o combate à corrupção adotado pelo governo “fragilizou” a relação dela com boa parte dos partidos.

“O que a Dilma está fazendo é limpar o governo do que está acontecendo de corrupção. Essa crise de corrupção é uma crise anterior a ela. Ela está limpando e não esta permitindo isso. Ela está mudando isso. E isso, óbvio, cria desconforto”, afirmou. “Vocês viram quantos deputados do PP recebiam mensalidade de um diretor da Petrobras? Isso é que era a base do poder e ela [Dilma] está mudando isso”, disse Cid Gomes, ao citar a lista de políticos investigados pelo Supremo Tribunal Federal por suspeita de envolvido com o esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato.

O agora ex-ministro da Educação completou ao dizer que o Congresso Nacional virou o “antipoder” e aposta no “quanto pior, melhor”, frase repetida diversas vezes pela presidente Dilma ao falar “dos que pregam a instabilidade institucional” no país.

“Eu considero o Legislativo fundamental para a democracia. O que é lamentável é a sua composição, a forma do parlamento se relacionar com o poder. Virou o antipoder. Ou tomam parte do poder ou apostam no quanto pior, melhor para assumir o poder”, completou.

O ministro também disse “lamentar” pela educação por deixar o cargo neste momento. “Lamento muito. Agradeço, mas estou aqui entregando o cargo de ministro. […] Estou feliz. Lamento pela educação do Brasil, porque tem muito o que fazer e eu estava entusiasmado. Mas, enfim, a conjuntura política impede a minha presença”, disse.

PMDB
O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), afirmou que, se Dilma não demitisse Cid, passaria uma mensagem de que “concorda” com a declaração do ministro de que “muitos” deputados da base têm “postura de oportunismo”.

“A presidente Dilma é uma pessoa com formação democrática. Não esperávamos outra atitude que não fosse essa. A posição correta era fazer. Não tomar essa atitude seria uma mensagem muito ruim, de que o governo concorda com essa atitude”, disse.

Pouco antes de anunciar a demissão do ministro, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, colocou em votação um projeto que estende a política de valorização do salário mínimo aos aposentados, proposta que contraria fortemente o governo.

Depois do telefonema de Mercadante a Cunha, o PMDB anunciou acordo com o governo para adiar a votação. “Vamos deixar que o governo negocie uma proposta para os aposentados”, disse Picciani.

A sessão
Cid Gomes deixou o plenário da Câmara depois de ter sido criticado por mais de uma hora pelas lideranças partidárias. A ofensiva dos deputados ocorreu depois de o ministro afirmar que deputados da base aliada que têm cargos na administração federal deveriam “largar o osso“.

Cid Gomes foi convocado pelos deputados devido a uma declaração de que a Câmara tem “uns 400 deputados, 300 deputados” que “achacam”, dada durante um evento do qual participou no último dia 27 na Universidade Federal do Pará.

O ministro iniciou a fala dizendo que “respeita” o Congresso e admitindo que deu a declaração. Ele tentou justificar a fala afirmando que era uma posição “pessoal” e não como ministro de Estado, quando começou a receber críticas de parlamentares presentes.

Diante das manifestações em plenário, Cid subiu o tom e chegou a apontar o dedo ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dizendo que prefere ser acusado pelo peemedebista de ser “mal educado”, a ser acusado de “achacar” empresas, no esquema de corrupção da Petrobras.

“Eu fui acusado de ser mal educado. O ministro da Educação é mal educado. Eu prefiro ser acusado por ele [Eduardo Cunha] do que ser como ele, acusado de achaque”, afirmou Cid Gomes.

Ele disse ainda que “muitos” parlamentares que integram a base de sustentação do governo agem com “oportunismo”.

As declarações geraram fortes ataques dos parlamentares em plenário. Lideranças da base aliada e da oposição pediram a demissão do ministro. Em meio às críticas, ele deixou o plenário e foi indagado por jornalistas se pediria demissão, conforme os apelos feitos pelos deputados.

O ministro respondeu que, se fosse pedir demissão, não anteciparia o fato à imprensa. “A presidenta resolverá o que vai fazer. O lugar é dela, sempre foi dela. E eu aceitei, para servir, porque acredito nela. Se eu fosse pedir demissão, eu não teria, por dever de ética, antecipar”, afirmou.

O ministro explicou ainda que deixou o plenário antes do término das falas dos líderes partidários porque se sentiu “agredido”. “Eu fui convocado, não estava no meu desejo. Já tinha vindo aqui na Câmara duas ou três vezes para conversar com os deputados. Comecei a minha vida no parlamento e respeito o parlamento. Agora, infelizmente fui convocado e agredido. Nessa condição penso eu que estou liberado”, declarou.

Cid Gomes deixou a Câmara dirigindo o próprio carro e com um sorriso no rosto, enquanto apoiadores que vieram do Ceará para acompanhar o pronunciamento dele gritavam palavras de apoio.

Depois que Cid Gomes deixou o plenário, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, anunciou que moverá ações jjudiciais contra o ministro. “Não vou admitir que alguém que seja representante do Poder Executivo, não só agrida esta Casa, como agrediu todos os parlamentares, como venha aqui e reafirme a agressão, inclusive chegando ao ponto de querer dominar. Então, a procuradoria vai processar, a presidência vai processar e, se alguém não se sentiu ofendido, tem todo direito de não querer fazer nada e até aplaudir”, declarou Eduardo Cunha.

Nota oficial
Leia abaixo a íntegra da nota oficial divulgada pela Presidência da República

NOTA OFICIAL

O ministro da Educação, Cid Gomes, entregou nesta quarta-feira, 18 de março, seu pedido de demissão à presidenta Dilma Rousseff. Ela agradeceu a dedicação dele à frente da pasta.

Secretaria de Imprensa
Secretaria de Comunicação Social
Presidência da República

Fonte: http://g1.globo.com/politica

17/03/2015: A Policia Militar de Pontalina-Go, fez a Segurança, onde aconteceu uma queda de uma árvore na GO 215 km 2, saída para Goiânia-Go

A Policia Militar de Pontalina-Go, fez a Segurança, onde aconteceu uma queda de uma árvore na GO 215 km 2, saída para Goiânia-Go, tomando mais da metade da pista, onde estava com chuva, a Árvore já foi removida e pista liberada.

foto FOTO1 foto2 foto4

 

Fonte: Eduardo Alessandro

17/03/2015: Quatro suspeitos de explosões a caixas eletrônicos são presos em Morrinhos-Go, Segundo a polícia, eles são responsáveis por explodir cinco agências. No entanto, em nenhuma ação o grupo conseguiu levar o dinheiro. Ultima ação foi uma Explosão numa Agência de Morrinhos-Go.

Fernanda BorgesDo G1 GO

fotoFOTO1

Última ação de quadrilha foi em banco de Morrinhos, diz polícia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A Polícia Civil apresentou nesta terça-feira (17) uma quadrilha especializada em furtos e roubos a caixas eletrônicos no sul e sudeste de Goiás. Os quatro suspeitos foram presos em Morrinhos, após uma explosão em uma agência bancária da cidade. De acordo com o delegado Alex Vasconcelos, do Grupo Antirroubo a Bancos da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), os suspeitos eram investigados por cinco explosões na mesma região. Em todas as ocasiões, nenhuma quantia em dinheiro chegou a ser levada.

“Eles eram investigados há cerca de cinco meses, quando um caixa eletrônico foi explodido na cidade de Quirinópolis. Depois, temos ocorrências em Buriti Alegre e Gouvelândia. Como o grupo sempre agia da mesma maneira, passamos a seguir as pistas e a colher elementos. Com isso, na segunda-feira (16), logo após a explosão em Morrinhos, conseguimos fazer diligências e localizar os suspeitos”, explicou o delegado.

De acordo com Vasconcelos, o líder da quadrilha era José Ribamar Ferreira da Silva, de 49 anos. Segundo a polícia, ele respondia por roubo e tinha passagens por porte ilegal de arma de fogo e furto. O suspeito é da cidade de Marabá, no Pará, mas alugou um lava a jato na cidade de Morrinhos, que servia de base para a quadrilha. No local, os policiais apreenderam um artefato explosivo, semelhante aos encontrados nas cenas dos crimes.

Ele tinha o apoio do brasiliense João Alves de Almeida Filho, 35, que era o responsável por adquirir os explosivos usados nas ações criminosas. Ele também já respondia na Justiça por um roubo ocorrido em Pirenópolis, em 2013.

“É importante ressaltar que tanto o João quanto o Ribamar já cumpriam pena por roubo em regime semiaberto e usavam tornozeleiras eletrônicas. Mesmo assim, continuaram persistindo a cometer delitos. Mesmo sendo de estados diferentes, e não haver parentesco entre eles, todos os suspeitos moravam na cidade de Morrinhos”, ressaltou o delegado.

Além dos dois suspeitos, também foram presos o pernambucano Eduardo da Silva e o paulista Jean Lucas Martinez Domingos, ambos de 19 anos. Eles já tinham passagens na polícia por posse de drogas e tentativa de homicídio. “Esses dois ajudavam nas questões operacionais para o roubo, como na colocação dos explosivos nos locais”, contou Vasconcelos.

Os suspeitos foram autuados em flagrante por furto qualificado, associação criminosa, dano qualificado e posse ilegal de artefato explosivo. Se somadas, as penas podem chegar a 20 anos de prisão. Após a finalização dos procedimentos na Deic, eles serão levados de volta para a cadeia de Morrinhos.

Fonte: http://g1.globo.com/goias

17/03/2015: Homofobia motivou um assassinato a cada 27 horas em 2014 no Brasil, Para a especialista, aumento de discussões sobre temas LGBT explicaria reações violentas.

Ana Cláudia Barros, do R7

fotoEm 2014, 326 pessoas morreram em razão da homofobia no BrasilLeonardo Soares – 12/12/2010 – Agência Estado

Em 2014, 326 pessoas morreram no Brasil em razão da homofobia, o que significa um assassinato a cada 27 horas.  Os dados fazem parte do Relatório Anual de Assassinatos de Homossexuais no Brasil, divulgado em fevereiro pelo GGB (Grupo Gay da Bahia).

O levantamento é feito com base em notícias veiculadas na imprensa. De acordo com o documento, o número de casos cresceu em 4,1 % na comparação com 2013.

A subnotificação impede uma radiografia fiel da realidade.  O antropólogo Luiz Mott, fundador do GGB e coordenador da pesquisa,  estima que todos os dias, no mínimo, um homicídio com motivação homofóbica ocorra no País, o que coloca o Brasil no topo do ranking.

— Hoje, 50% dos assassinatos de pessoas trans no mundo acontecem no Brasil.

Mott afirma que os crimes contra os LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) são marcados pela imprevisibilidade.

— A falta de um padrão sistemático, regular da intolerância e da violência é um problema. A única tendência fixa é que sempre são mais gays [vítimas]. Em segundo lugar, as travestis e, em terceiro, as lésbicas.

O antropólogo completa, enfatizando que, em termos relativos, travestis e transgêneros estão mais expostos, uma vez que essa população não chega a 1 milhão no País, enquanto a de gays está na casa dos 20 milhões, conforme organizações que atuam junto a esses segmentos. Uma das explicações para essa vulnerabilidade estaria no estilo de vida marginalizado.

— Ninguém quer empregar uma travesti. Na escola, elas são humilhadas, expulsas e a prostituição se torna meio de sobrevivência.

Dos 326 mortos registrados no levantamento de 2014, 163 eram gays, 134 travestis, 14 lésbicas.

Fidelix é condenado a pagar R$ 1 milhão por declarações homofóbicas

Disque 100

Dados do Disque 100, serviço mantido pela SDH/PR (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República), apontam que das denúncias de violência homofóbica recebidas no ano de 2014, em 67,10% as vítimas eram homens; 19,45%, mulheres e, em 13,45% dos registros, o sexo não foi informado.

Conforme as estatísticas do serviço, os alvos mais recorrentes são gays (20,05%), travestis (11,57%), lésbicas (9,51%) e transexuais (8,31%). A faixa etária mais vulnerável é a de 18 a 24 anos, que corresponde a 31,71% das vítimas, segundo a SDH/PR.

Violência física e psicológica

Entre as denúncias de violência física contra LGBTs recebidas pelo Disque 100, a lesão corporal foi a mais frequente, totalizando 188 registros. Maus-tratos e homicídio aparecem na sequência, com 148 e 35 casos, respectivamente.

Já quando a violência é psicológica, a humilhação está no alto da lista. Foram 659 denúncias levadas à central em 2014. Em segundo lugar, vem a hostilização (592), seguida por ameaça (349), calúnia/injúria/difamação (149) e perseguição (111).

Os tipos de violações contra LGBT mais recorrentes no ano passado foram: discriminação, com 864 registros (85,29%);  violência psicológica, com 781 (77,10%) e violência física, com 284 (28,04%).

No acumulado, o número de denúncias de violência homofóbica recebidas pelo serviço foi de 1.013, 40% a menos do que em 2013 (1.695 registros).

Leia mais notícias sobre Cidades

“Pelo menos uma vez por semana ouço uma ofensa”, diz gay espancado na zona oeste de SP

País de contradições

Na análise do antropólogo e ativista Luiz Mott, o Brasil é permeado por contradições.

— O Brasil tem um lado cor-de-rosa:a maior parada gay do mundo, a maior e mais dinâmica associação LGBT do mundo [ABGLT], as novelas estão cada vez mais incluindo personagens gays, lésbicas e trans. Há ainda conquistas institucionais importantes, como o casamento homoafetivo, o nome social para travesti em mais de 20 entidades, universidades e até Ministério Público. Mas, ao mesmo tempo, há um lado vermelho sangue, que é representado pelos assassinatos. Diferentemente do Irã, do Sudão, onde há pena de morte contra os homossexuais, o Brasil não tem legislação punitiva, mas aqui se mata muitíssimo mais do que nos países onde há pena de morte.

Para a especialista em questões de gênero, escritora, psicanalista e professora da USP (Universidade de São Paulo) Edith Modesto, o aumento da aceitação das diferenças de orientação sexual por parte da sociedade e a maior incidência do tema nos meios de comunicação explicariam, de certa forma, as reações violentas contra a população LGBT.

— As pessoas com problema, que costumamos chamar de homofóbicas, ficam muito amedrontadas quando veem que isso está caminhando. É uma dialética. A coisa está melhorando por um lado, o respeito é maior, está havendo um movimento interno nas pessoas de aceitação, de acolhimento das diferenças. Por outro lado, aqueles que já têm o problema mais acentuado ficam apavorados e  começam até a recrudescer. Então, o preconceito vira rejeição, intolerância e passa da paixão para a ação. Assassinato, agressão física, xingamento.

Na avaliação da psicanalista, apesar da sensação de que há um retrocesso, hoje o homossexual “existe” socialmente.

— O homossexual já “existe”. Mesmo que a pessoa não aceite. Antes, ele nem podia existir, não era um sujeito, tinha que viver à margem da sociedade, porque não tinha um lugar como cidadão. As coisas melhoraram um pouco. Mas pouco.

A professora da USP entende que a intervenção do Estado na questão, por meio de projetos e de leis, é fundamental para contornar o problema das agressões contra os LGBTs e para evitar que essa população fique à margem.

— Eu luto para ter uma casa de passagem para jovens, para que eles possam estudar, viver fora da família enquanto houver essa dificuldade […] Penso também que temos que ter leis que protejam as diferenças. Por exemplo, as diferenças étnico-raciais estão protegidas. As diferenças de orientação sexual e de identidade de gênero não estão. A proteção legal é fundamental. É preciso leis que protejam essas pessoas para que elas sejam respeitadas mesmo por aqueles que não são a favor das diferenças.

Luiz Mott também enfatiza a urgência na aprovação de leis para frear a violência anti-homossexual, que, segundo estatísticas do GGB, atingiu nos últimos quatro anos patamares nunca vistos – média de 310 assassinatos anuais.

— Do mesmo modo que hoje em dia todo mundo se policia para não fazer piada racista, eu tenho muita convicção de que a penalização da homofobia com multa e com prestação de serviços em Organizações Não Governamentais LGBT vai ter um impacto importante, sobretudo, com o apoio da mídia e com o governo fazendo seu papel.

Além de legislação que garanta a cidadania da população LGBT, Mott defende como medida de erradicação dos crimes homofóbicos, a educação sexual para ensinar o respeito aos direitos humanos dos homossexuais e a exigência de que a polícia e a Justiça investiguem e punam esse tipo de crime. Para ele, é importante ainda que gays, lésbicas, travestis e transexuais evitem situações de risco.

Fonte: http://noticias.r7.com

17/03/2015: Ódio, pornografia e suicídio: saiba quais são as novas regras para “censura de conteúdo” no Facebook, Rede social quer deixar mais claras as regras sobre o que você pode ou não publicar.

Do R7


fotoFacebook quer deixar mais claras suas políticas de gestão de postagens
Reprodução

O Facebook está reformulando suas políticas para publicação e exclusão de conteúdo. A rede social promete derrubar imagens e postagens que incitem a violência, bullying e que encoragem o suicídio. A “censura” do serviço deve funcionar com base na análise do conteúdo após denúncias feitas por usuários da rede.

Outros temas também estão na “lista negra” de postagens do Facebook, como: apoio a grupos terroristas, pornografia e violência sexual. Sempre que houver uma denúncia, a rede social enviará ao usuário um prazo para a análise dos dados e poderá excluir postagens ou até mesmo banir os usuários.

Pessoas que checam o Facebook constantemente são inseguras, segundo estudo

Um vídeo da emissora norte-americana CBS comenta os temas que podem ser banidos na rede social e explica que, ao acessar o site, os usuários concordam com as regras impostas pelo Facebook. Postagens de amamentação e nu artístico já foram retiradas da rede social em situações anteriores.

Por este motivo, a rede social pretende deixar mais claras as regras do jogo, informa o editor do site Cnet Dan Ackerman. Em entrevista para o site da emissora norte-americana CBS, o editor do site especializado em tecnologia explicou a linha de conduta da rede social para exclusão de conteúdo.

— Basicamente, eles podem tirar o que quiserem do ar. A companhia é deles e eles fazem suas próprias regras.

Fonte: http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia

17/03/2015: Black Friday fora de época acontece amanhã, 500 lojas online deve participar da liquidação online.

fotoPor Redação Olhar Digital

O comércio eletrônico prepara para quarta-feira, 18, uma espécie de Black Friday fora de época. A famosa megaliquidação que antecipa as compras de natal, em novembro, ganha uma nova edição neste mês.

O presidente do Buscapé para a América Latina, Rodrigo Borer, coordena o evento denominado “Dia do Consumidor Brasil”. O objetivo é impulsionar as vendas em um período considerado fraco para a indústria.

Espera-se que mais de 500 lojas online participem do evento de amanhã e que o faturamento seja 60% superior ao da primeira edição do evento, que registrou R$ 174 milhões em vendas.

Via Estadão Fonte: http://olhardigital.uol.com.br

17/03/2015: Redução da maioridade penal pode ser votada hoje na Câmara, Proposta quer reduzir a responsabilidade penal das pessoas de 18 para 16 anos.

Da Agência Brasil


fotoRedução maioridade penal será discutida nesta terça-feira
Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Câmara dos Deputados pode votar nesta terça-feira (17) a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 171/93 que reduz a responsabilidade penal de 18 para 16 anos.

A proposta está na pauta e chegou a tramitar na CCJ na última legislatura, mas não foi votada. A PEC é a mais antiga das cerca de 30 propostas que tramitam na Casa pedindo a alteração na maioridade penal.

Tema polêmico, a proposta de redução da maioridade penal divide especialistas. De um lado, há a ideia de que adolescentes menores de 18 anos têm discernimento para entender que estão cometendo crimes. Portanto, segundo os defensores da redução da maioridade, esses jovens devem ser punidos de acordo com a gravidade do ato.

Por outro lado, defensores da manutenção da maioridade em 18 anos argumentam que a redução da idade para responsabilização penal é uma medida simplista, que pode gerar ainda mais problemas para a segurança pública. Para eles, é preciso ampliar políticas sociais de proteção aos jovens.

Lava Jato completa um ano após apurar desvios de, ao menos, R$ 2,1 bilhões

Corrupção foi o que motivou protestos de domingo, diz Datafolha

Professor da Universidade de Brasília, sociólogo e estudioso da segurança pública, Antônio Flávio Testa defende que os crimes devem ser punidos de acordo com a sua gravidade, independentemente da idade de quem cometeu.

— Sempre há discussão em torno de quem cometeu crimes, mas não na família das vítimas. Dizer que, pela idade, uma pessoa é menos perigosa, é falacioso.

Administradora executiva da Fundação Abrinq, que atua na promoção dos direitos de crianças e adolescentes, Heloisa Oliveira diz que o número de atos infracionais cometidos por adolescentes é “muito menor” que o de adolescentes vítimas de violência.

— A maior parte dos adolescentes internados, de acordo o Conselho Nacional de Justiça, cometeu roubo ou foi pega praticando tráfico de drogas. Esses crimes são típicos de ausência de uma polícia de enfrentamento às drogas. Isso tem, por certo, adultos por trás.

Segundo Testa, um crime cometido por um menor ou por um adulto não pode ser tratado de forma diferente e o contexto social não pode ser levado em conta para a punição.

— Há uma dívida social com as famílias mais pobres, mais carentes, mas querer dizer que um menor de família pobre que comete um homicídio não deve ser punido, é absurdo. Na minha avaliação, se cometeu um crime grave tem que ser punido de acordo com a gravidade do crime.

Para Heloisa, a violência deve ser vista como fenômeno social grave e tratada com políticas de prevenção e proteção.

— A maioria dos adolescentes internados, quando cometeu seu primeiro ato infracional, não estava mais na escola, ou seja, já estava com um direito não garantido. Muito mais que pensar uma mudança de lei, a gente precisaria investir fortemente em uma política de proteção e de garantia de projeto de vida para esses jovens.

De acordo com a Constituição, os menores de 18 anos não podem ser imputados penalmente, por isso ficam sujeitos a punições específicas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente, as medidas socioeducativas.

O relator da PEC, deputado Luiz Couto (PT-PB), apresentou parecer contrário por considerar que as propostas ferem cláusula pétrea da Constituição.

Ele argumenta que a PEC desrespeita o Pacto de São José da Costa Rica, tratado internacional de direitos humanos do qual o Brasil é signatário, segundo o qual os adolescentes devem ser processados separadamente dos adultos.

Fonte: http://noticias.r7.com/brasil

15/03/2015 (Domingo) Ocorrência de menor em direção no Setor Dergo em Pontalina-Go.

fotoOcorrência Policia Militar-Go: 15/03/2015 (Domingo) Ocorrência de menor em direção no Setor Dergo em Pontalina-Go.

Fonte: Capitão Weslei – Policia Militar-Go em Entrevista ao Jornal da Integração News FM 94,5, em Morrinhos-Go.

15/03/2015 (Domingo) Ocorrência de Porte ilegal de arma de fogo, na zona Rural, em virtude de um acidente que teve na GO 040, onde os policiais de Pontalina deslocaram em apoio, até a chega do batalhão rodoviário.

fotoOcorrência Policial Militar-Go: 15/03/2015 (Domingo) Ocorrência de Porte ilegal de arma de fogo, na zona Rural, em virtude de um acidente que teve na GO 040, onde os policiais de Pontalina deslocaram em apoio, até a chega do batalhão rodoviário, e notando atitude suspeita dos ocupantes do veículo, resolveu fazer uma vistoria mais minuciosa no veículo, onde encontraram um apt 59, calibre 380 marca tauros, que estava em poder de Ademair Gomes Cardoso 42 anos de idade, que estava com carregador e mais 10 munições, com espagidor de gás de pimenta, e uma algema, em Pontalina-Go.

Fonte: Capitão Weslei – Policia Militar-Go, em Entrevista ao Jornal da Integração News FM 94,5, Morrinhos-Go.

14/03/2015 (Sabado): Acidente de trânsito sem Vítima, na Avenida Joaquim Pires com a Rua 3, no bairro Popular, uma colisão no cruzamento envolvendo carro e moto, em Pontalina-Go

fotoOcorrência Policia Militar-Go – 14/03/2015 (Sabado): Acidente de trânsito sem Vítima, na Avenida Joaquim Pires com a Rua 3, no bairro Popular, uma colisão no cruzamento envolvendo carro e moto, danos materiais em ambos veículos, em Pontalina-Go.

Fonte: Capitão Weslei – Policia Militar-Go em Entrevista ao Jornal da Integração News FM 94,5, Morrinhos-Go.

13/03/2015 (Sexta-Feira): Acidente de trânsito sem vítima, na Rua do Corredor, com a Avenida E, Dergo dois carros em aborroamento, em Pontalina-Go

fotoOcorrência Policia Militar-Go – 13/03/2015 (Sexta-Feira): Acidente de trânsito sem vítima, na Rua do Corredor, com a Avenida E, Dergo dois carros em aborroamento, com danos materiais em ambos os veículos.

Fonte: Capitão Weslei  – Policia Militar-Go em Entrevista ao Jornal da Integração News FM 94,5 ,de Morrinhos-Go.

Fotos do Protesto agora de Manhã em Goiânia contra a Corrupção e Dilma

fotofoto1

 

Fotos do Protesto agora de Manhã em Goiânia contra a Corrupção e Dilma

Fonte: Wellington Rodrigues

45 mil tomam a Esplanada dos Ministérios, em Brasília-DF, segundo a Policia Militar.

45 mil tomam a Esplanada dos Ministérios, em Brasília-DF, segundo a Policia Militar.

foto

Fonte: g1.globo.com

Manifestantes protestam contra a presidente Dilma Rousseff em Goiás, Em Goiânia, pessoas se concentram nas praças Cívica e Tamandaré. Grupo colhe assinaturas em documento pró-impeachment.

Paula ResendeDo G1 GO

Protesto em Goiânia, Goiás (Foto: Thaís Luquesi/ TV Anhanguera)

foto

Manifestantes realizam protestos, neste domingo (15), contra a presidente Dilma Rousseff (PT) nas praças Tamandaré e Cívica, em Goiânia. A concentração começou por volta das 11 horas.

Na Praça Tamandaré, no Setor Oeste, há o maior número de pessoas. O protesto é organizado pelo grupo Movimento Brasil Livre Goiás. Eles instalaram no local um balcão para que pessoas assinem um documento pró-impeachment.

Dois manifestantes chamam a atenção de quem está na Praça Tamandaré. Eles estão vestidos com fantasias de presidiário e com máscaras da presidente e do ex-presidente Lula. Os dois carregam uma grade e simulam uma prisão.

Segundo um dos líderes do Movimento Brasil Livre Goiás, o médico Sílvio Fernandes, cerca de 400 pessoas já estão na Praça Tamandaré. A Polícia Militar monitora o movimento, mas ainda não tem estimativa de quantos manifestantes se aglomeram na praça. O grupo quer o impeachment da presidente. “Queremos o impeachment da presidente Dilma. O grande motivo é pelo ato de improbidade administrativa perante a Petrobrás. Ela é corresponsável por isso que está acontecendo”, diz o médico.

Já na Praça Cívica, onde está localizada a sede administrativa do governo estadual, as pessoas se reúnem em frente aos Correios. Os manifestantes informaram que foram ao local por iniciativa própria para protestar contra a presidente Dilma Rousseff (PT) e que não pertencem a nenhuma organização.

 Fonte: http://g1.globo.com/goias

 

DISTRITO FEDERAL: A Polícia Militar montou quatro barreiras em frente ao Congresso Nacional para impedir que manifestantes tentem invadir a sede do Legislativo. Na terceira, junto ao espelho d’água do Congresso, os policiais ficam andando de um lado para o outro.

foto

 

Fonte: g1.globo.com